Sat Naam da Holanda!

Eu adoro aprender coisas novas. Uma das minhas áreas favoritas para aprender são as interseções da ciência cognitiva, psicologia positiva e neurociência*. Tenho certeza de que algum dia a ciência do Kundalini Yoga será suficientemente estudada para ser aceita pelo establishment médico e acadêmico, e fará parte dessa mesma discussão. Kundalini Yoga é um dos “hacks cerebrais” mais poderosos, e o KRI continua a encontrar mais maneiras de compartilhar essa mensagem e essas técnicas.

Uma das áreas que me fascina é o viés cognitivo. Há tantas maneiras que nossos cérebros cometem erros em nossas percepções do mundo. Como praticante do Yoga da Consciência, quero saber o máximo possível sobre essas tendências inatas de cometer erros em minha própria consciência e aprender o que posso fazer para tentar evitá-los.

Um dos vieses cognitivos mais prevalentes é o viés de confirmação, onde nosso cérebro notará automaticamente informações que confirmam nossas crenças pré-existentes e ignora informações contrárias. Parte da crescente polarização no mundo ao nosso redor é impulsionada por esse efeito natural, “hard-wired”, que torna muito desafiador estar verdadeiramente aberto a diversas opiniões e perspectivas.

Cada vez mais a literatura acadêmica está mostrando que trabalhar em equipes verdadeiramente diversas leva a melhores resultados. Melhores decisões são tomadas quando você é “forçado” a ouvir diversas perspectivas. Aumentar a diversidade e a inclusão são partes importantes para manter nossa consciência em seu nível mais alto; eles são os principais antídotos para as armadilhas do viés de confirmação! Aumentar a diversidade de nossos locais de trabalho, sociedades e comunidades nos ajudará a neutralizar as tendências naturais de polarização e todas as formas de tribalismo. A adaptação bem-sucedida ao mundo em rápida mudança exigirá que todos nós aproveitemos a sabedoria mais profunda que pode vir de um grupo diversificado, e não apenas de nós mesmos, ou de um grupo de pessoas que pensam como nós.

Claro, o aspecto de justiça social da diversidade e inclusão é igualmente importante. Como iogues, reconhecemos a Unidade de todas as pessoas – não importa qual seja sua raça, religião, preferência sexual ou qualquer outra identificação. E, portanto, devemos falar e agir para neutralizar sistemas ou instâncias em que qualquer ser humano é tratado de alguma forma como “menos do que” por causa de quem eles são. Somos todos as mesmas centelhas do divino, e precisamos garantir que estamos agindo dessa maneira e trabalhando para ajudar toda a nossa sociedade a agir dessa maneira.

Parte do esforço para trazer nossa prática de yoga “fora do tapete” deve envolver aumentar nossa consciência e, em seguida, trabalhar para mudar os sistemas que mantêm a opressão ou a desigualdade de qualquer ser humano por ser quem eles são. Parte de ser a mudança que queremos ver no mundo é se esforçar para criar comunidades baseadas no amor e na igualdade, onde a Verdade da Unidade Infinita se reflita melhor no microcosmo de nossas vidas e interações diárias.

Fevereiro é o mês da História Negra, e espero que você se junte ao KRI para focar na diversidade este mês. A KRI reconhece que algumas pessoas de cor não se sentiram acolhidas ou apoiadas pela comunidade Kundalini Yoga. Estamos iniciando um esforço de longo prazo para que todos possam se sentir igualmente bem-vindos como praticantes de Kundalini Yoga. Seremos transparentes sobre nossos esforços – publicando informações sobre o que estamos fazendo e como está funcionando na seção de Justiça Social do nosso site.

Que você e sua família sejam saudáveis e felizes, e que fevereiro lhe traga muitas bênçãos,

Amrit Khalsa

CEO da KRI

*Por exemplo, eu gosto do podcast The Happiness Lab e do livro “ The Power of Habit ” de Charles Duhigg.

Deixe um comentário